Festa da Sagrada Família

A festa da Sagrada Família faz parte da liturgia do Natal. José e Maria acolhem Jesus no aconchego familiar e correspondem na fé e no amor à vontade de Deus sobre a família. Quais são os desejos de Deus sobre a família?

Em Eclesiástico 3,3-7.14-17ª,os pais são apresentados como colaboradores de Deus: honrar, obedecer, respeitar e amparar pai e mãe é abrir-se às suas bênçãos.

Na Carta aos Colossenses 3,12-21, Paulo diz que somos amados por Deus, eleitos e queridos por Ele. Como resposta ao seu amor, devemos viver a misericórdia, a bondade, a humildade, a mansidão, a paciência e o perdão. Essas virtudes e sentimentos descritos pelo apóstolo reforçam, protegem e enfeitam a vida comunitária e familiar. O amor é o mais importante. Ele é o vínculo da perfeição, o centro de tudo, pois vem de Deus. Sem o amor não há vida comunitária e familiar.

Lucas 2,22-40 narra o testemunho da sagrada família cumprindo a Lei. São os pobres que acolhem a salvação. Simeão canta a maneira como Jesus realizará a sua missão. Ele é a salvação, a luz para iluminar as nações, sinal de contradição. A cena é um apelo a acolher Jesus como salvador.

A família é um “dos tesouros mais importantes”, é “patrimônio da humanidade” (DA, 432). Ela está no projeto de Deus. Jesus elevou a união homem e mulher à dignidade de sacramento. A família é um capital, a melhor empresa que um homem e uma mulher possuem.

A família é um bem para o próprio casal, pois está ordenada para o bem dos esposos. O sacramento do matrimônio confere valores aos cônjuges: graça de Deus, bênção, amor, união, fidelidade, filhos, santidade, realização humana, afetiva e espiritual. A família é lugar onde o casal faz a experiência de encontro com Deus, na oração, na participação dos sacramentos, leitura e meditação da palavra de Deus. O sacramento do matrimônio une o casal, liga os esposos entre si e os torna uma só carne.

A família é um bem para os filhos, é lugar da geração da vida, da educação e da formação para os valores. O testemunho dos pais é fundamental na educação dos filhos.

A família é um bem para a Igreja, na medida em que os pais educam seus filhos na fé e nos valores cristãos.

A família é um bem para a sociedade: é um capital humano e social primário do qual a sociedade necessita. Ela é escola de humanização e dos valores cívicos. Uma das grandes responsabilidades da família cristã na sociedade atual é a defesa da vida. Os pais devem educar seus filhos sobre o valor da criação, da vida, da dignidade humana, da tolerância, da justiça, da solidariedade, da confiança, formando assim a consciência moral dos filhos.

A missão da família cristã numa sociedade como a nossa torna-se uma verdadeira cruz. Mas no caminho da evangelização, segundo Jesus Cristo, há uma etapa que não se pode prescindir: a cruz.

O matrimônio não é um ato mágico. No altar não se destroem as fraquezas e defeitos de cada um. Mas a partir da celebração do sacramento haverá no casal uma semente divina, que se encontrar terreno fértil vai germinar e gerar frutos.

O casal precisa cultivar o amor que os uniu. O casamento é um serviço de amor. Ser pai, ser mãe, esposo e esposa é uma vocação de amor. O amor é a única realidade que faz nascer e manter viva uma família. O amor ocupa o centro do matrimônio.

O amor se concretiza em regras – ascese, disciplina, zelo – como a oração, o respeito, o perdão, o diálogo, a transparência, o zelo, a criatividade, o segredo, a simplicidade, a moderação, a união, a fidelidade. Todas essas virtudes e sentimentos sustentam o casamento.

Dom Paulo R. Beloto, Bispo Diocesano.