Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo

A fé é um encontro de amor. É o amor de Deus revelado na pessoa de Jesus Cristo, que nos santifica e dá sentido à nossa existência.

Há lugares de encontros com a pessoa de Jesus Cristo: Igreja, Sagrada Escritura, Sagrada Liturgia, oração pessoal e comunitária, caridade fraterna, pessoas, piedade popular, Maria e os santos.

“A Eucaristia é o lugar privilegiado do encontro do discípulo com Jesus Cristo” (DAp, 251). É o mistério: acreditado, celebrado, vivido e anunciado.

A Igreja destaca em duas ocasiões o mistério eucarístico: a quinta-feira santa e a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue do Senhor. Enquanto que na quinta-feira santa a ênfase é dada na instituição da Eucaristia, em Corpus Christi se celebra a presença real do Senhor nas espécies eucarísticas.

A solenidade de Corpus Christi surgiu para nos ajudar na contemplação, adoração e exaltação da presença do Senhor nas espécies eucarísticas.

A presença eucarística está na consagração e dura enquanto subsistirem as espécies eucarísticas. Esta presença nos motiva para o culto de adoração à Eucaristia.

É fundamental vivermos as diversas dimensões da Eucaristia. Uma dessas dimensões, é a adoração.

O que é a adoração? É um ato simples, mas talvez o mais esquecido em nossa experiência de oração. É estar diante do Senhor, no silêncio e na interiorização e oferecer a Ele a própria presença.

A adoração eucarística já acontece durante a celebração do sacramento, quando o celebrante, após mostrar a hóstia consagrada e o cálice com o sangue de Cristo, faz genuflexão para adorá-los. Também durante a consagração os fiéis que podem, ajoelham-se. Há momentos de silêncio durante a celebração, próprios para uma interiorização do mistério celebrado. Essa adoração a Jesus continua fora da missa, prolongando e intensificando aquilo que se fez na celebração litúrgica.

A Igreja recomenda o culto eucarístico e a adoração, tanto individual como comunitária, fora da missa, como as visitas aos sacrários, as exposições do Santíssimo Sacramento, a bênção, procissões, como desdobramentos da celebração do mistério da eucaristia.

A adoração eucarística está em sintonia com o mistério pascal e com a participação da ceia do Senhor. Deve brotar da celebração do memorial da Páscoa do Senhor e a ele conduzir. É uma experiência que nos leva a uma profunda comunhão com o Pai, pelo Filho, no Espirito. O culto eucarístico facilita a contemplação do mistério e ajuda a levar os fiéis a reconhecer na santíssima eucaristia a presença de Cristo, que nos convida a comunhão de coração, que atinge o seu ponto mais alto na comunhão sacramental.

Aprendemos com Maria, modelo de fé eucarística, que ofereceu o seu ventre virginal para a encarnação do Verbo. No Santíssimo Sacramento, a Igreja se une plenamente a Cristo e ao seu sacrifício com o mesmo espírito de Maria: recebemos o dom da Eucaristia, adoramos o Senhor, para que a nossa vida, à semelhança dela, seja toda ela um eterno louvor.

Dom Paulo Roberto Beloto, Bispo Diocesano.