Assuntos da 58ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, dia 13

O primeiro assunto a ser tratado foi sobre o Pontifício Colégio Pio Brasileiro, de vital importância para a Igreja no Brasil. Em 2020, uma nova direção assumiu os trabalhos junto ao Pio: o Pe. José Otacio Oliveira Guedes, da Arquidiocese de Niterói, é o Reitor. O Colégio teve um decréscimo no número de presbíteros alunos residentes. Há necessidade de um acompanhamento da situação financeira. Atualmente, as fontes de receitas são: pagamento da moradia de presbíteros pelas dioceses, ajuda da Comissão para a América Latina e sistema de bolsas ADVENIAT. Foi constituída uma equipe de bispos e assessores para pensar em alternativas que possam contribuir na manutenção do Colégio. É bom ressaltar que temos um presbítero morando no Pio Brasileiro, o Pe. Leonaldo Cardoso Beneti.

A equipe que elaborou a Mensagem ao Santo Padre apresentou a nova redação, com as correções e acréscimos sugeridos.

A seguir, a Comissão para a Doutrina da fé, presidida por Dom Pedro Cipollini, expôs alguns pontos presentes no conteúdo de dois subsídios produzidos pela referida Comissão, sobre o Magistério dos Bispos e Vida e Dom: sobre o aborto. A intenção é ajudar os Bispos no seu ministério de santificar, ensinar e governar, tendo como referência a fé cristã.

Dom Valdeci Mendes apresentou as atividades já realizadas e o calendário da 6ª Semana Social Brasileira -  Mutirão pela Vida: por Terra, Teto e Trabalho – 2020-2022. A Semana tem como eixos: Economia, soberania e democracia, para que o Brasil seja um país justo, livre e seguro para os seus habitantes.

Dom José Valmor César Teixeira, Bispo de São José dos Campos, presidente do Projeto Comunhão e Partilha da CNBB, que tem como objetivo ajudar as dioceses e prelazias mais pobres na formação dos seus futuros padres, prestou contas da distribuição dos recursos e a situação financeira atual.

Dom Odilo Pedro Scherer leu a Mensagem ao Prefeito da Congregação para os Bispos, Cardeal Marc Ouellete.

Dom João Francisco Salm apresentou a proposta de que o ano de 2023 seja proclamado 3º Ano Vocacional, em âmbito nacional. A sugestão foi bem acolhida e aprovada.

Algumas informações sobre o Fundo Nacional de Solidariedade foram feitas por Dom Joel Portella Amado. Os recursos da última coleta são poucos, já que muitas dioceses ainda não fizeram a coleta, devido a pandemia. Foi montado um Conselho-Gestor para a administração e encaminhamentos dos recursos totais que serão adquiridos.

Dom Jaime expôs alguns assuntos referentes ao Centro de Estatísticas Religiosas e Investigações (CERIS), órgão ligado à CNBB. O seu maior patrimônio é o banco de dados. Algumas pendências estão sendo encaminhadas.

Pe. Patriky Samuel, secretário executivo, expôs os caminhos de preparação e organização da Campanha da Fraternidade 2022, quando iremos celebrar os 40 anos da Pastoral da Educação. Tema: Fraternidade e Educação. Lema: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26). Objetivo Geral: Promover um diálogo a partir da realidade educativa no Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário. A equipe irá acolher as muitas sugestões partilhadas pela Assembleia.

Dom Hector Miguel Cabrejos Vidarte, em nome da presidência do Conselho Episcopal Latino-Americano, Arcebispo de Trujillo – Peru, juntamente com alguns coordenadores de centros mantidos pelo CELAM, apresentaram o processo de renovação e reestruturação do mesmo. O caminho de discernimento para esse processo tem sido amplamente participativo, com a realização de várias reuniões e encontros, respondendo à intenção de uma Igreja sinodal, como prega o Papa Francisco.           

Sobre o XVIII Congresso Eucarístico Nacional, que irá acontecer no próximo ano, Dom Antônio Fernando Saburido, apresentou os passos dados para a sua realização.

Dom Paulo Roberto Beloto, Bispo Diocesano.