Dom Paulo apresenta os assuntos tratados durante o primeiro dia (12) da 58ª Assembleia da CNBB.

Está sendo realizada a 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em modalidade virtual, até o dia 16 de abril.  Segue uma breve exposição dos assuntos tratados no dia 12.

Após a oração inicial, foi feita a abertura Oficial da Assembleia, com as palavras do presidente da CNBB, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte – MG, que ressaltou as circunstâncias especiais desta Assembleia, já adiada de 2019 para esse ano, por causa da pandemia. Ela é um momento de especial importância para a Igreja católica no Brasil. É ocasião de nossa sinodalidade e colegialidade. Rezamos, pedindo a luz e unção do Espírito Santo para essa ocasião.

Dom Giambattista Diquattro, Núncio Apostólico, expressou a sua alegria e gratidão, ao dirigir-se pela primeira vez ao Episcopado Brasileiro. Dom Walmor agradeceu as palavras de incentivo e comunhão do senhor Núncio.

Dom Joel Portela Amado, Bispo Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro e Secretário-Geral da CNBB, apresentou a Ordem do dia e as orientações sobre a Assembleia, as Comissões dos trabalhos, a pauta com os assuntos, desde o Tema Geral: Pilar da Palavra de Deus, Animação Bíblica da Pastoral, como os temas prioritários e diversos.

Foram apresentados os novos Bispos, nomeados desde 2019 até 2020. Recordamos e rezamos pelos Bispos falecidos, desde a última assembleia.

Dom Walmor prosseguiu com o relatório das diversas atividades realizadas nos últimos anos, ressaltando que não é apenas sua voz, mas de todo o episcopado brasileiro. São várias atividades, destaco algumas: a elaboração e publicação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, 2019-2023, o Sínodo para a Amazônia, o adiamento e adaptações de atividades em razão da Pandemia da COVID-19, em razão das observações às medidas médico-sanitárias, Campanhas da Fraternidade, Pacto pela vida pelo Brasil, Ação Solidária Emergencial: “É tempo de Cuidar”, com várias atividades sociais através da Cáritas Brasileira, Novo Estatuto da CNBB, atividades dos Conselhos e Comissões Episcopais, Relações da CNBB com outros organismos, sociedade civil e órgãos públicos, pronunciamentos no Biênio 2019 a 2020, com mensagens e Notas.

Foi elaborada por uma equipe uma Mensagem ao Santo Padre, o Papa Francisco.

Mons. Nereudo Freire, ecônomo, apresentou o Informe Econômico da CNBB, com a apreciação do Conselho Fiscal.

Os membros da Comissão do Tema Central apresentaram alguns aspectos do texto produzido: “E a Palavra habitou entre nós”, Animação Bíblica da Pastoral a partir das Comunidades Eclesiais Missionárias.  A versão tem 7 capítulos. São indicações para a implantação da Animação Bíblica da Pastoral nas dioceses e paróquias, fonte e alma da ação evangelizadora. O paradigma da reflexão é a Parábola do Semeador (Mt 13,1-9). O texto serve como ponto de partida para a discussão e aprovação de uma provável redação oficial, como Estudos da CNBB.

No período da tarde, após a oração, Dom Walmor introduziu a reflexão sobre a Análise de Conjuntura Social: “O povo de Deus sofre com a doença e a fome”, feita por Dom Francisco Lima Soares, Bispo de Carolina - MA.  Foi uma apresentação um tanto tensa e incômoda, devido à própria realidade gravíssima que a humanidade, e o Brasil de modo particular, estão vivendo.  A pandemia agravou ainda mais os problemas que o país já enfrentava. A CNBB apoia o Pacto pelo Brasil e pela vida, e as inciativas que renovam as esperanças, numa realidade tão complexa e difícil.

A seguir, foi feita a Análise de Conjuntura Eclesial, por Mons. Antônio Luíz Catelan Ferreira, presbítero do clero de Umuarama – PR, com o tema: Sinodalidade da Igreja, tema muito importante que ganhou força desde as inspirações do Concílio Vaticano II, agora incentivado ainda mais no magistério do Papa Francisco. A sinodalidade expressa a necessidade de comunhão e participação na vida eclesial.

Encerramos o dia com a apresentação do Ano da Família Amoris Laetitia, proposta do Papa Francisco, feita por Dom Ricardo Hoepers, Bispo da Diocese do Rio Grande – RS. O Dicastério sobre Leigos Família e Vida está à disposição para ajudar as dioceses com subsídios na organização e celebração deste ano. Todo esforço no apoio às famílias, tendo como inspiração a Exortação do Papa, é bem-vindo.

Dom Paulo Roberto Beloto, Bispo Diocesano